Nós não somos quem nós pensamos ser

June 13, 2016

 

Sente na beira do rio e apenas observe... Não o deixe lhe levar nem nada conter ele.”

    Em 2014, tive um encontro encantador com a monja Jetsunma Tenzin Palmo, foi num retiro em um hotel  na cidade de Jaboatão dos Guararapes. Esse momento foi muito enriquecedor para minha vida, comecei a enxergar melhor aquilo que estava ao meu redor, pude despertar para um sentido maior e eu estou amando essas mudanças. Vou deixar aqui um trecho da palestra sobre meditação, é fantástica essa prática, ainda estou longe de ser uma grande praticante, mas o pouco que eu pratico já observei muitas das coisas que preciso transformar e que posso fazer, basta querer. Eu recomendo!

 

Meditação:

    "Como é simples, porém as pessoas não conseguem, porque elas acreditam que a mente não pode parar. É muito perturbador ter a consciência de que ela não para.

    Ter a mente clara é o primeiro passo não o último para buscar a nossa verdadeira situação. Precisamos buscar esse 'EU' que controla tudo. O problema está em nós, mas nossa mente é perfeita.

    Uma mente relaxada e centrada é muito mais eficiente. A meditação budista hoje é aceita em qualquer tradição, independe da religião.

Humildade não é ser rigoroso consigo mesmo isso é baixa autoestima. Que eu possa ser feliz, que eu possa encontrar o equilíbrio... Bondade amorosa, compaixão primeiro conosco, depois com  as pessoas que amamos e depois com os inimigos. Primeiro devemos curar o meu 'EU'.

    A prática da respiração é um objetivo da meditação, pois estamos sempre respirando. É algo que podemos controlar e ela tem uma relação íntima com o nosso estado mental. Não respiramos nem no futuro, nem no passado, só no agora. Perceba sem pensar, aí sim, estamos no presente. E quando isso acontece, consigo perceber melhor, sinto-me à vontade e assimilando melhor, estou 'aqui e agora'.

    Minha mente está calma, serena, no presente. Absolutamente, aqui, o mundo lá fora não existe. Nossas ações e fala ainda está muito ligada ao nosso pensamento. E nós não paramos para analisar os nossos pensamentos.

Sente na beira do rio e apenas observe... Não o deixe lhe levar nem nada conter ele.

    Assim é com os pensamentos, apenas observar sem julgar... Como bolhas de sabão.

    Nossa mente é comparada a um rio, quanto maior e mais profunda a concentração é como se estivéssemos no encontro do rio com o mar.

A mente pensante não é um problema, nós precisamos apenas ter consciência dela.

   Apenas relaxe e deixe os pensamentos surgirem e observe. Então, possa ser que num intervalo de um pensamento e outro nós consigamos ter o vazio e observamos a natureza da mente.

   Só assim, então, podemos perceber que nós não somos quem nós pensamos ser. O nosso objetivo é perceber isto. O que nós não somos. Nós não vamos fazer um exercício intelectual, vamos apenas observar. Isso não é um jogo intelectual, é um exame da natureza do pensamento.

   Esse olhar para dentro é como se a gente estivesse despindo uma cebola e fosse chegar a essência dela. Mas e se não tiver uma essência? Então precisamos criar um espaço em nossa mente, ela está como uma casa cheia de mobília. Quando a mente está limpa o vento entra sem bater em nada. E tudo fica mais claro e enxergamos as coisas como elas são.

   Então, nesta consciência aberta, aparece à alegria, surgem de maneira natural como borbulhas... Esta prática está disponível para todos, basta praticar. Cada passo que a gente dá na meditação é um ganho para nós e para nos tornar um ser humano melhor.

   com essa mente nós adicionamos valores a nossa sociedade. Se tiver algo que podemos ter na vida, é ter uma mente mais clara, calma e isso a gente pode fazer. Faremos passo a passo...

   O que é realmente importante?

   Cultive sua mente. Lembre que você sempre pode fazer mais... Ser Buda é uma questão de mudar o que nós já somos."

 

 

Please reload

  • Facebook - White Circle
  • Google+ - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • YouTube - White Circle
Navegue com a Jac:
Destaques

Pelos sertões que andei... de Recife a Petrolina

July 31, 2017

1/7
Please reload

Please reload