Praia de Tatuamunha/AL

March 23, 2017

    Aproveitamos um final de semana que era o aniversário do Alcides e saímos como de costume com uma mochila levando apenas o essencial para a ocasião: um cooler cheio de lancinhos deliciosos, sucos, chá gelado e água. Saímos com destino a Alagoas, adoramos viajar pelo litoral nordestino, as estradas são tranquilas, pelo menos nos horários e lugares que já fomos. Viajamos sempre sem pressa de chegar, o mais importante é curtir o caminho, não a chegada.

 

 

    Gostamos de parar em Japaratinga e degustar uma deliciosa cioba bem crocante apreciando o mar azul e ouvindo o barulho das ondas quebrando na praia. Hummmm!

    Depois seguimos nossa viagem passando pela balsa que nos levou até Porto de Pedras e só paramos quando chegamos em nosso destino...

 

 

    A praia de Tatuamunha, ainda deu tempo de curtir o pôr do sol e tomar um banho morninho no encontro do Rio Tatuamunha com o mar. Que lindo!

E a noite chegou de mansinho trazendo um luar espetacular que após saboreamos um delicioso jantar servido na pousada, pudemos caminhar na areia e comtemplar as estrelas e a luz prateada do luar que beijava o mar... super romântico!

 

    No dia seguinte depois de um delicioso e reforçado café da manhã, saímos a caminhar pela areia da praia com destino a Praia do Patacho (5km), quando chegamos lá, eu estava com a língua pra fora... kkkkkkk! E olha que eu tinha ido com chapéu, água, protetor solar, etc...

    Bom, quando finalmente encontramos uma barraquinha que vendia uma água de coco deliciosa e super gelada, ficamos debaixo de um coqueiro a apreciar aquela paisagem e depois tomamos aquele banho de mar. Resolvemos que voltaríamos pela estrada e pagaríamos uma condução para nos levarmos até a pousada. Andamos quase 1km até a pista, no meio do caminho almoçamos nem restaurante bem simples, mas que tinha uma comida deliciosa e um suco de mangaba dos deuses. Há há!

    Quando chegamos na pista, num posto de gasolina descobrimos que não existiam taxis, só moto táxi... Eu tô fora! E Alcides também! Então, só nos restava esperar pela van que faz o transporte na região, mas que só passaria uma hora depois. Ficamos debaixo de um pé de cajá, pegando e comendo a fruta, curtindo a paisagem, lembrando das nossas infâncias, até que um ônibus bem velho que faz o transporte dos trabalhadores da usina da região nos deu uma carona até a entrada para a estrada de barro que daria na nossa pousada. Oh, glória!

    Descemos do ônibus e seguimos andando na estradinha de terra batida que nos levaria ao nosso aconchego, de um lado estava a reserva do peixe boi com o seu manguezal, do outro só a natureza local e de vez em quando uma pousada, achávamos que seria mais perto... Qual o quê! 3,5 km andando e contemplando a paisagem, um lugar muito tranquilo onde pudemos desfrutar da companhia um do outro, da cumplicidade e do cuidado, pois estávamos preocupados um com o outro, Alcides descalço eu me preocupava com seus pés e ele preocupado comigo pois achava que eu não ia conseguir chegar até a pousada devido ao cansaço, mas sempre passava um veículo se precisássemos conseguiríamos ajuda. Finalmente chegamos! Nada como uma ducha geladinha para nos devolver o ânimo, descansamos e depois saímos em busca da tapioca deliciosa de Dona Elisângela, desta vez de carro, kkkkk!

    O mais gostoso da viagem é você se preparar com o espírito de aventura, com alegria de viver o momento, de ter atenção plena (eu estou aqui e agora!), deixar os problemas e as dificuldades em casa e seguir com muita vontade de ser feliz e fazer o seu companheiro(a) feliz. Deixar os “mi, mi, mis” se transformarem em “há, há hás”.

 

 

    Um beijo no coração e até a próxima!

Please reload

  • Facebook - White Circle
  • Google+ - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • YouTube - White Circle
Navegue com a Jac:
Destaques

Pelos sertões que andei... de Recife a Petrolina

July 31, 2017

1/7
Please reload

Please reload